Gerenciador de Notícias Artigos / Blogs / Notícias

Cinto de segurança e sua história

0 Comentários
862
08 Out 2016

                         Cinto de segurança e sua história

Na moda feminina e masculina o cinto é estilo, na zona rural para fazendeiros e vaqueiros o cinto com sua fivela gigantesca é status e para militares do século XIX era suporte das armas que levavam para a primeira guerra mundial. Quão versátil é esse tal de cinto, porém em toda a história não se tem notícia que sirva pra salvar vidas, ao contrário do cinto de segurança, muito usado por condutores de veículos.

O cinto de segurança, tem ao longo de muitos anos evitado o óbito de milhares de condutores. Alguns especialistas em trânsito afirmam que se todos os condutores usassem o cinto estariam evitando cerca de 6 mil mortes por ano.

A lei diz que o cinto deve ser usado por todas as pessoas que estão no veículo e a multa é considerada grave.

Breve histórico do cinto de segurança

1930 – Vários médicos dos EUA colocam cintos em seus próprios carros e advertem os fabricantes a inseri-los em todos os carros novos.

1954 – A Sports Car Club of America exige cintos de segurança para os motoristas participantes.

1955 – A Society of Automotive Engineers (SAE) nomeia uma Comissão de cintos de segurança para veículos automotores.

1956 – Volvo comercializa um cinto de 2 pontos cruzado no peito em diagonal como um acessório. Ford e Chrysler oferecem cintos de segurança na frente como uma opção em alguns modelos. A Ford começa uma campanha publicitária baseada em segurança de 2 anos, concentrando-se fortemente em cintos de segurança.

1957 – Volvo fornece âncoras para cintos diagonais de 2 pontos na frente.

1958 – Nils Bohlin, engenheiro de projeto da Volvo na Suécia, patenteia os” Princípios de sistemas de retenção adequados para os ocupantes do carro”, mais conhecido como um cinto de segurança de três pontos. O dispositivo compreende duas alças, uma alça de colo e alça de ombro. A Volvo fornece âncoras para cintos diagonais de 2 pontos na parte traseira.

1959- Volvo apresenta cinto de 3 pontos na frente como padrão na Suécia.

O tempo foi passando e em 1996 – Comissão Econômica da Europa aprova alterações a três diretivas relativas a: [1] cintos de segurança, [2] fixações de cintos de segurança, e [3] a força do assento de mini automóveis e automóveis médios e grandes. Requer cintos de 3 pontos em todos os assentos em micro-ônibus (veículos de menos de 3,5 toneladas) e pelo menos cintos de 2 pontos.

Pesquisas afirmam que mais de 60% dos óbitos são oriundos do banco de trás dos carros, pois os passageiros “imaginam” que não é preciso usar. Usar o cinto de segurança é valorizar a vida, porém a escolha é de cada participante deste mundo complexo chamado trânsito.

0.0
Ultima Modificação: 08 outubro 2016 08:35
Artigos relacionados: Transitar com segurança é assim! Capacete - Mais segurança no trânsito. Veja hábitos que prejudicam a sua segurança no trânsito. 7 - Postura é adrenalina e não segurança. Tecnologia objetivando a segurança no trânsito.
pilotagem motoca honda paz motocicleta carros

Sem comentários

Deixe um cometário

Seu endereço de e-mail não será publicado.